A Idealização do Amor -

 

9f00145ba7ae5798c81f927de9673c69Eu estava a pensar na forma como se poderá entender o amor, à luz da minha formação. Da minha perspectiva, depende daquilo que o outro representa, se o outro é um prolongamento nosso, é uma parte nossa, como acontece muitas vezes, ou é uma idealização do eu de que falaria o Freud. No sentido psicanalítico poder-se-ia dizer que o amor corresponde ao eu ideal e, portanto, à procura de qualquer coisa de ideal que nós colocamos através de um mecanismo de identificação projetiva no outro. 

Portanto, à luz de uma perspectiva científica, como é apesar de tudo a psicanalítica, o problema começa a pôr-se de uma forma um bocado diferente. Nesse sentido e na medida em que o objeto amado é sempre idealizado e nunca é um objetivo real, a gente, de facto, nunca se está a relacionar com pessoas reais, estamos sempre a relacionarmo-nos com pessoas ideias e com fantasmas. A gente vive, de fato, num mundo de fantasmas: os amigos são fantasmas que têm para nós determinada configuração, ou os pais, ou os filhos, etc. 

Cérebro do coração

“Dispomos hoje de provas científicas de que o coração nos envia sinais emocionais e intuitivos para nos ajudar a governar a nossa vida. Em vez de simplesmente bombear sangue, o coração dirige e promove o alinhamento de muitos sistemas do corpo, de modo a fazer com que funcionem em harmonia uns com os outros.”( Doc Childre e Howard Martin – Institute HeartMath- Califórnia- USA)

Alguns fatos surpreendentes sobre o coração redescoberto pela ciência:

- O campo elétrico do coração é 40 a 60 vezes superior ao campo elétrico gerado pelo cérebro. Registros já mostram também que o seu campo magnético é de 4.000 a 5.000 vezes mais potente que o do cérebro, e podem ser medidos até 3 metros.

- Os batimentos cardíacos são gerados a partir do interior do próprio coração, não precisando de uma ligação com o cérebro para continuar a bater. Os cientistas ainda não sabem exatamente o que o faz o coração de um feto começar a pulsar.

- Dentro do coração existe um pequeno cérebro, um sistema nervoso independente, com aproximadamente 40.000 neurônios, o cérebro do coração. Este complexo neuronal é gerador de uma inteligência própria, diferenciada e altamente intuitiva, que processa informações e envia sinais para o cérebro, em seu sistema límbico e neocórtex, esta a parte do cérebro responsável pelo raciocínio e pensamento.
download- O coração comunica-se com o cérebro e o corpo de quatro maneiras:
1. comunicação neurológica ( sistema nervoso)
2. Comunicação biofísica (ondas de pulsação)
3. Comunicação bioquímica ( hormônios)
4. Comunicação energética ( campos eletromagnéticos)
- Cada batida do coração carrega informação para as células do corpo, numa linguagem inteligente que influencia diretamente a nossa maneira de perceber, pensar e reagir ao mundo. Os ritmos cardíacos geram campos eletromagnéticos específicos, de maior ou menor coerência, que impactam diretamente o funcionamento de todos os órgãos, especialmente as funções cerebrais, impactando a performance individual. 
- Já está comprovado por testes que, quando cérebro e coração estão em sincronia energética, mais inteligência e intuição ficam disponíveis para os indivíduos.

 


_(Fontes: Instituto HeartMath – Califórnia – EUA; livro memória das Células, Dr. Paul Pearsall; livro The Biology of Transcendence, John Pearce, entre outros)

_http://www.conexaocoracao.com.br/

A afetividade é o motor de qualquer conduta

1902787_725251757496441_4101150999993836327_n

Afetividade é o motor de qualquer conduta.

Mas a afetividade não modifica a estrutura cognitiva.

Tomemos duas crianças em idade escolar, por exemplo.

Uma que adora matemática é interessada e entusiasta, e possui todos os demais predicados que você imagina.

E uma outra que tem sentimentos de inferioridade, que não gosta do professor, e assim por diante.

Uma se adiantará muito mais rapidamente do que a outra, mas para ambas dois e dois fazem quatro no final.

Não são três para a que não gosta de matemática, nem cinco para a que gosta. Dois e dois ainda serão quatro.

 

Fonte: Jean Piaget (apud Evans, 1980)

Neurometria : Treinamento para saúde e Inteligência

neurometria

A Neurometria é uma metodologia de avaliação do Sistema Nervoso Autônomo e de registro das atividades cerebrais. Promove o autocontrole das funções fisiológicas por meio do monitoramento computadorizado. Os indutores de ondas cerebrais – IOCs consistem numa técnica desenvolvida para repetição diária dos estímulos que promovem o alcance do maior rendimento das funções cerebrais. O treinamento com IOCs é a principal ferramenta para aumentar o controle do paciente sobre as funções autônomas (SNA). A Neurometria Funcional vem ganhando cada vez mais espaço no ramo das psicoterapias, já que proporciona aos seus pacientes a alternativa de realizar o treinamento fora dos consultórios, sem a obrigatoriedade de um profissional em todos os momentos. Mesmo com a comodidade de prosseguir um tratamento flexível, a disciplina e o cumprimento de todos os requisitos são essenciais para obtenção de resultados significativos.  Os requisitos básicos consistem em realização dos exercícios recomendados pelo profissional e alimentação de alta densidade nutritiva. 

Relacionamentos

 

rede_relacionamentos11

Penso que, compreendendo a vida de relação, chegaremos a compreender o que significa independência. A vida é um processo de constante movimento de relações, e sem se compreender a vida de relação, produziremos confusão, e luta, e esforços inúteis. Assim sendo, releva compreender o que significa vida de relação; porque são as relações que constituem a sociedade, e não é possível o isolamento. O que se isola, logo perece.

Nosso problema, pois, não é o de sabermos o que é a independência, mas, sim, o que significa a vida de relação. Com a compreensão da vida de relação, que é a conduta entre seres humanos, quer íntimos, quer estranhos, quer próximos, quer distanciados, começaremos a compreender todo o processo da existência e do conflito entre o cativeiro e a independência. Cumpre-nos, pois, examinar com muito cuidado o que significa vida de relação.

A vida de relação não é no presente um processo de isolamento e, portanto, de conflito constante? As relações entre vós e outra pessoa, entre vós e vossa esposa, entre vós e a sociedade, são produto desse isolamento. Por isolamento queremos dizer que vivemos a todas as horas em busca de segurança, de satisfação e de poder. Afinal de contas, cada um de nós, em suas relações com alguém, busca a satisfação; e onde existe a busca de conforto, de segurança, quer se trate de uma nação, ou de um indivíduo, tem de haver isolamento, e o que está no isolamento provoca sempre conflito. Tudo o que resiste produz necessariamente conflito entre si e aquilo a que está resistindo; e, visto que, na maioria dos casos, as nossas relações constituem uma forma de resistência, criar uma sociedade que gera, necessariamente, o isolamento e, portanto, conflito, dentro e fora desse isolamento. Precisamos, pois, examinar as relações e sua função em nossas vidas. Afinal de contas, o que eu sou — minhas ações, meus pensamentos, meus sentimentos, meus impulsos, minhas intenções — produz aquela relação entre mim e outra pessoa, o que chamo sociedade. Não existe sociedade sem essa relação entre duas pessoas; e antes de podermos falar de independência, de agitar bandeiras, e tudo o mais, cumpre-nos compreender a vida de relação, o que significa que devemos exa minar a nós mesmos em nossas relações com os outros.

Neurometria Funcional

NEUROMETRIA FUNCIONAL:

A Neurometria é uma metodologia que utiliza técnicas reconhecidas mundialmente, onde tem como objetivo realizar as Análises Funcionais e os Treinamentos do Sistema Nervosos Autonômico (com sensores  periféricos) e Cognitivo (com sensores na cabeça), com o objetivo de melhorar a Saúde Física, Mental e potencializar a Alta Performance.

Origem: http://www.neurometria.org/sobre/

 

veja-a-neurofisiologia-e-os-estímulos-cognitivos-em-tempo-real
 

Acreditar em mudanças…

Iansã

Acho tão dificil acreditar em mudanças alheis, quanto em acreditar em minhas próprias, digo, mudanças de comportamento feitas a toque de caixa…. Falo especificamente de mudanças rápidas.

Mas deixo registrado que acredito em mudanças de um modo geral (pensamento,mundo,espiritual….)

Acredito principamente em mudanças lentas…  feitas, gota a gota…

O que seria uma mudança rápida de comportamento? Difícil de defenir já que cada ser é unico e reage também de forma única as contigências da vida? Então fica a dúvida. "Pura divagação"

Claro que esse pensamento não é nada agregador…só compartilho para pensarmos juntos…

Assumo minha desconfiança. Sinto muito dificuldade em mudar meu comportamento, então claro que o meu olhar sobre o outro será como um espelho que olho, já que me olho no outro.  Será??….rsrsrsrsrsr….Será?????

Sempre fica a máxima de aspirantes "meditadores": Sem Pensar, sem julgar, ficar no aqui agora…

Mudanças são benéficas e necessárias na caminhada, que tod@s nós saibamos acolher com amor as Mudanças…

Observadoramente,

Mar

 

Fanatismo

LOGO3Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida.
Meus olhos andam cegos de te ver. 
Não és sequer razão do meu viver 
Pois que tu és já toda a minha vida! 
Não vejo nada assim enlouquecida… 
Passo no mundo, meu Amor, a ler 
No mist'rioso livro do teu ser 
A mesma história tantas vezes lida!… 
"Tudo no mundo é frágil, tudo passa… 
Quando me dizem isto, toda a graça 
Duma boca divina fala em mim! 
E, olhos postos em ti, digo de rastros: 
"Ah! podem voar mundos, morrer astros, 
Que tu és como Deus: princípio e fim!…" 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Florbela Espanca, "Livro de Sóror Saudade"

A Morte que Trazemos no Coração

 

É no coração que morremos. É aí que a morte habita. Nem sempre nos damos conta que a carregamos connosco, mas, desde que somos vida, ela segue-nos de perto. Enquanto não somos tomados pela nossa, vamos assistindo e sentindo, em ritmo crescente ao longo da vida, às mortes de quem nos é querido. A morte de um amigo é como uma amputação: perdemos uma parte de nós; uma fonte de amor; alguém que dava sentido à nossa existência… porque despertava o amor em nós. Mas não há sabedoria alguma, cultura ou religião, que não parta do princípio de que a realidade é composta por dois mundos: um, a que temos acesso direto e, outro, que não passa pelos sentidos, a ele se chega através do coração. Contudo, o visível e o invisível misturam-se de forma misteriosa, ao ponto de se confundirem e, como alguns chegam a compreender, não serem já dois mundos, mas um só. 

O Desejo de ser diferente

animal-and-friends_65784O desejo de se ser diferente daquilo que se é, é a maior tragédia com que o destino pode castigar o homem. O desejo de ser outro, diferente daquilo que somos: não pode arder um desejo mais doloroso no coração humano. Porque não é possível suportar a vida de outra maneira, apenas sabendo que nos conformamos com aquilo que significamos para nós próprios e para o mundo. Temos de nos conformar com aquilo que somos e de ter consciência, quando nos conformamos, de que em troca dessa sabedoria, não recebemos elogios da vida, não nos põem no peito nenhuma condecoração por sabermos e aceitarmos que somos vaidosos ou egoístas, carecas e barrigudos – não, temos de saber que por nada disso recebemos recompensas, nem louvores. Temos de suportar, o segredo é isso. Temos de suportar o nosso caráter, o nosso temperamento, já que os seus defeitos, egoísmos e avidez, não os mudam nem a experiência, nem a compreensão. Temos de suportar que os nossos desejos não tenham plena repercussão no mundo. Temos de suportar que as pessoas que amamos, não nos amem, ou que não nos amem como gostaríamos. Temos de suportar a traição e a infidelidade, e o que é mais difícil entre todas as tarefas humanas, temos de suportar a superioridade moral ou intelectual de uma outra pessoa.

Autor: Sándor Márai, As Velas Ardem Até ao Fim